Seja bem-vindo(a) ao blog Etiopatogênese!

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Necrose e Apoptose

    A célula muitas vezes está exposta a condições que podem levar à lesão celular. Essa lesão pode ser reversível até certo ponto, depois do qual a célula morre. A morte celular pode seguir a via de necrose ou da apoptose, sendo a primeira sempre patológica, enquanto a segunda pode acontecer também em processos fisiológicos normais do organismo. Vamos entender um pouco mais sobre a necrose e a apoptose.


Necrose

    Pode-se definir necrose como as alterações morfológicas que acontecem após a morte celular em um tecido vivo, de vido à ação progressiva de enzimas que sofreram uma lesão letal. A necrose é o correpondente macroscópico e histológico da morte celular causada por uma lesão exógena irreversível. Assim que a célula morre, ela ainda não é necrótica, pois esse é um processo progressivo de degeneração. As células necróticas não conseguem manter a integridade da membrana plásmatica, extravasando seu conteúdo e podendo causar inflamação no tecido adjacente.
Morfologicamente, as células necróticas apresentam um aumento da eosinofilia, devido à perda da basofilia causada pelo RNA no citoplasma normal e devido também ao aumento da ligação da eosina às proteínas plásmaticas desnaturadas. O citoplasma apresenta vacúolos e o citoplasma com um aspecto corroído, podendo haver calcificações. As células mortas podem ser substituídas por grandes massas de fosfolipídeos, denominadas figuras de mielina, que serão posteriormente fagocitadas por outras células ou degradadas em ácidos graxos. Há vários padrões morfológicos de necrose, sendo os principais: necrose de coagulação, necrose liquefativa, necrose caseosa e necrose gordurosa.


Apoptose

    A apoptose é a via de morte celular programada e controlada intracelularmente através da ativação de enzimas que degradam o DNA nuclear e as proteínas citoplásmaticas. A membrana celular permanece intacta(o que difere bastante das situações de necrose), com alteração estrutural para que a célula seja reconhecida como um alvo fagocitário. A célula é eliminada rapidamente, de maneira a não dar tempo de o seu conteúdo extravasar, causando uma reação inflematória que poderia assemelhar-se à necrose tecidual.
A apoptose acontece tanto em eventos patológicos como em eventos fisiológicos. Morfologicamente, as células apoptóticas apresentam encolhimento celular (citoplasma denso e organelas mais agrupadas); condensação da cromatina ( a cormatina se agrega na periferia do núcleo, em massas densas de várias formas e tamanhos. O próprio núcleo pode se romper em dois ou mais fragmentos); formação de bolhas citoplasmátocas e corpos apoptóticos. As células saudáveis do tecido migram e proliferam para ocupar o espaço da célula morta. A degradação intracelular de proteínas ocorre por meio de enzimas denominadas caspases, outrora inativas. Elas clivam muitas proteínas nucleares vitais e do citoesqueleto, além de ativarem DNAases. A apoptose pode ocorrer em duas vias, intrínseca e extrínseca.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário